18 de setembro de 2011

Vem aí mais um 5 de Outubro!

E não é o que alguns ainda celebram como o dia da Proclamação da República, ou da Instauração da Tirania, de uma ética, que não é de todo republicana, que de ditadura em ditadura, trouxe, exactamente o oposto, em total desequilibro, que nos levou à actual situação verdadeiramente alarmante que hoje vivemos.

Vale a pena comemorar a República de tudo isso?

Ou não valerá antes, a pena, celebrar algo que está acima de todos nós, que é a Liberdade, a Independência, e a nossa Herança Histórica Colectiva, que vem desde o 5 de Outubro de 1143, até à actualidade, apesar da república de hoje , estar a fazer tudo para renegarmos o que fomos e o que podemos ser!

Não! Portugal não é um País caloteiro!

Sim! Portugal é cumpridor!

Não! Portugal não precisa de uma classe política medíocre!

Sim! Portugal precisa de um sistema constitucional completamente novo, que a Constituição não seja o programa de um partido político, mas que seja a guardiã dos valores reconhecidos por todos nós, como a Democracia, a Liberdade, a Igualdade de oportunidades, não dando, lugar, obviamente, a oportunistas.

Portugal precisa de um Monarca Constitucional, independente dos Partidos, Livre e Independente, que coloque a Nação como ponto fundamental para o Serviço que cabe não só a ele, mas também a toda a Nação.

Antes de reclamar por direitos, é preciso cumprir com o nosso dever. E o nosso dever neste momento é só um:
- Apoiar o nosso Rei! Ir a Coímbra no próximo dia 5 de Outubro, bem equipado, com uma T-shirt a dizer “Quero um Rei… e Tu?”, uma Bandeira do Reino de Portugal, e uma voz bem afinada para gritar a plenos pulmões Vivas ao Rei e à Família Real e se possível trazer mais Portugueses para a Causa de Portugal.

A Monarquia não pertence nem ao Rei nem aos Monárquicos. A Monarquia é de todos os Portugueses. É o melhor bem que temos em reserva. É preciso restaurar o Trono, que é a garantia de um melhor futuro e não há dúvidas para ninguém, que o Senhor Dom Duarte de Bragança, está mais do que preparado para assumir essa alta responsabilidade.

Chegou a hora de reclamar pelo Direito Universal de se poder escolher o regime. Dizer claramente que o artigo 288b) da Constituição, ao consagrar a forma republicana de governo, é um atentado à liberdade de escolha de regime. É uma injúria às Monarquias Democráticas Europeias, e acima de tudo, renega uma forte percentagem de Portugueses que se revê na Monarquia e que tem direito a ter uma palavra a dizer!

Seja qual for o resultado de um referendo Monarquia ou República, acima de tudo, a primeira vitória do lado monárquico, será quando conseguirmos alterar a Constituição e é neste sentido que devemos todos lutar.

Depois desse passo, virão outros. Não é o Povo que tem que vir ter connosco. Somos nós que temos que ir ao encontro do Povo.

Dia 5 de Outubro, todos a Coimbra!

David Garcia

Sem comentários: