4 de novembro de 2011

Que tamanho tem a alma do presidente desta república?


"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena" afirma hoje no Brasil o homem que representa a república e a ver pelo historial da nossa república, representa-a na perfeição.
Há uns anos numa reportagem da RTP sobre, se não estou em erro, a monarquia espanhola a repórter encerrava a peça com a frase “só a título de curiosidade saiba que a monarquia custa a cada espanhol 19 cêntimos, a presidência da república em Portugal custa a cada português 1 euros e 58 cêntimos e em termos de transferência de orçamentos, o governo espanhol transfere para a casa real quase 9 milhões de euros, o governo português transfere para a presidência da república quase 16 milhões de euros”. Eu acrescento ainda que a rainha do Reino Unido custa a cada britânico 80 cêntimos. Esta reportagem é, se não me engano, de 2005, altura em que a crise ainda não batia com força e entretanto a Casa Real Espanhola reduziu o seu orçamento, estando actualmente nos 8 milhões (menos um milhão do que em 2005). A ideia partiu do próprio rei que solicitou a redução do seu orçamento visto que a sua pátria estava em dificuldades. É isso que faz um rei, adapta-se, preocupa-se, gasta menos. Já o nosso presidente também se preocupa. Demonstra-o com frases como "ninguém está imune aos sacrifícios" e, para o provar, fica entre os chefes de Estado mais gastadores da Europa, necessitando de 500 empregados no seu palácio, contra os 300 e 200 dos palácios dos monarcas do Reino Unido e Espanha, respectivamente. Além disto fez-se acompanhar por um séquito de 23 pessoas, nas quais se incluíam mordomo, médico pessoal, enfermeira, 12 seguranças privados, entre outros “criados” essenciais, ao Brasil, e agora afirma “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”... se a dele fosse grande faria como fez aquele rei que assassinámos a tiro, em 1908, e pedia ao parlamento para lhe retirar 20% da dotação da Casa Civil. Dava o exemplo porque “o exemplo vem de cima” e "ninguém está imune a sacrifícios" mas pelos vistos ele não é ninguém... ele é o representante deste regime que, desde que nos foi imposto (e nunca legitimado), nada mais tem feito do que enganar e explorar os portugueses... Outros países europeus, que ficaram presos ao terror que é a monarquia, como o Reino Unido, a Holanda, a Suécia, a Dinamarca, o Luxemburgo, são agora sociedades evoluídas, igualitárias, as melhores democracias do mundo, de acordo com os rankings da ONU. Nós fomos forçados a evoluir e a aceitar a modernidade da República sob ameaças e torturas, e agora temos o que “escolhemos” e merecemos.
Hoje Cavaco afirma "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena". E eu pergunto: de que tamanho é a alma do presidente desta república? Penso que seja do tamanho da legitimidade, honestidade e seriedade da mesma república.

Sara Jofre

Sem comentários: