18 de abril de 2012

Primarismos republicanos


«Juan Carlos Alfonso Victor Maria de Borbón y Borbón - Duas Sicilias, Rei de Espanha (e ainda, a crer nos seus titulos, de "reinos" como o de Jerusalém, de Nápoles, da Sicilia, da Sardenha e das Indias Orientais e Ocidentais...), decidiu, cansado dos entediantes afazeres da realeza, divertir-se. E que melhor maneira de se divertir do que pegar numa carabina e matar elefantes!».
Não fora a alusão a nomes e factos que indubitavelmente nos situam no Presente, dir-se-ia mais um excerto retirado de uma crónica de algum primário jornalista ou politico primo-republicano. Mas não, o autor é Manuel António Pina que assim ontem discorria na sua coluna diária no JN.
E não se ficou por aqui. Depois da alusão - de péssimo, deplorável gosto - ao acidente que vitimou o Infante espanhol, irmão do Rei Juan Carlos, o escriba Pina rematou indignado com o que os contribuintes do país vizinho pagam à Casa Real, um qualquer despropósito monetário que «dá para muitos safaris».
Não nos desenvencilhamos, fatalmente, desta República peçonhenta e demagógica, enraizadamente maldizente e mesquinha!
Como se nunca a rapaziada socialista de cá tivesse cavalgado tartarugas ou dromedários. Nem passeado com a filharada (e uma carabina?, uma portentosa máquina fotográfica?) pelo Quénia e outros exóticos destinos. Como se há muito não nos habituassemos às especiosas comitivas presidencias riscando os céus em aviões por sua conta, a expensas nossas, terrenos desta terrinha.
Urge a Espanha convoque Manuel António Pina para colaborar no imprescindivel termo da tirania. Simplesmente, não se sabe porquê, os espanhois não questionam o seu Rei, sobretudo em dias de crise como são os actuais. Juan Carlos tem consigo toda uma Nação de si tão dada a retalhar-se em uma série delas. Enquanto metade do nosso Portugal "bota abaixo" o Chefe do Estado republicano e os restantes lá o vão desculpando ou enaltecendo.
E quem poderá Pina apontar como exemplo de parcimónia, comedimento no despesismo da República portuguesa? Salazar?

 João Afonso Machado

Fonte: Corta-fitas

1 comentário:

(im)perfeito disse...

Sr. João Afonso Machado, eu tenho um grande apresso pela Monarquia, e acredito que se em vez de um PR fosse antes um Rei Portugal estaria melhor colocado na Europa bem como teria uma imagem para o exterior de maior firmeza, e exigência. Longe vão os tempos em que reinamos e fomos vistos como vitoriosos e poderosos. Mas pelo meio também houve réis que erraram que cometeram falhas, nenhuma soberania seja republicana ou monarquia está imune a erros. Pessoalmente não gosto da caça como forma de passatempo, mas aceito-a como forma de procurar alimento. Não aceito touradas em que o óbvio é usar o animal como fonte de diversão. E isto tudo para dizer que podemos ter opiniões diferentes e acreditar no mesmo. Não vou dizer que é errado O rei Juan Carlos ir à caça, mas num tempo em que as dificuldades aumentam seria bem mais agradável sabe-lo poupado e resguardado de coisas que parecem ser super fulas. Quanto á nossa republica tem sido um corre corre de visitas desde os PR aos ministros resultados estão à vista um país pobre, endividado e uma republica que não governa para o povo.