16 de agosto de 2012

Reconstituição histórica da Real Regatta das Canoas em Pedrouços


Esta Regatta - que se realizou pela primeira vez em 1845 - constituíu uma homenagem prestada pela Família Real Portuguesa aos fragateiros, arrais, bordas d’Água e todas as gentes ligadas à faina do Tejo e dos campos do Tejo (varinos, avieiros, gaibéus, entre outros) que ajudaram na resistência e combate às invasões do Séc. XIX.

Canoas Grandes Algés-Pedrouços, in: Revista Municipal de Lisboa,nº 62,1954
Trata-se da única Regatta do MUNDO que todos os anos segue as regras de 1845, constantes do Regulamento.


S.A.R DOM DUARTE DE BRAGANÇA TROUXE DE VOLTA A REAL REGATA DAS CANOAS

SAR Dom Duarte com o Prof. Fernando Carvalho-Rodrigues na Real Regata das Canoas em 2006

Fernando Carvalho-Rodrigues tem uma enorme paixão: o rio Tejo e as canoas. Este sonha que, um dia, o rio Tejo volte a surgir repleto de embarcações de vela erguida. Por isso, o nosso cientista é proprietário de uma canoa típica, de nome "Ana Paula". Desde muito jovem, viveu sempre numa zona ribeirinha e, todos os dias, ao dirigir-se para o Liceu Nacional Gil Vicente, que frequentou durante 7 anos, contemplava sempre que podia o rio e as respectivas fragatas e canoas com a vela desfraldada.

 O investigador está empenhado em recuperar uma memória com mais de 50 anos... Este desafio lançado por SAR Dom Duarte Pio, Duque de Bragança, consiste em trazer de volta a Real Regata de Canoas, que se realizava a 4 de Outubro, de acordo com um regulamento de 1854.


Organizada pelo Centro Náutico Moitense, a Real Regata das Canoas do Tejo fez reviver tempos de animação, cor e alegria que outrora se viviam no grande estuário do Tejo.


O Centro Náutico Moitense retomou uma tradição secular que animava o rio Tejo no mês de Outubro. Trata-se da Regata Real das Canoas, que, no dia 5 de Outubro leva ao rio perto de meia centena daquelas embarcações tradicionais.

A iniciativa surgiu de um desafio feito por SAR O  Sr. Dom Duarte, Duque de Bragança, que presidiu à sessão solene das comemorações do 25º aniversário do Centro Náutico Moitense, em 2005, e que, na ocasião, sugeriu que se restaurasse a tradição da Regata Real, uma vez que, pela acção, do centro náutico, o número de canoas que hoje navegam no Tejo aumentou substancialmente.
O Centro Náutico aceitou o desafio, e entendeu alterar a data de realização da regata do dia 4 para o dia 5 de Outubro, por ser feriado e assim ter a possibilidade de uma maior participação das tripulações das canoas, num percurso entre a Moita, Belém, Pedrouços e regresso à Moita.

O professor Carvalho Rodrigues, vogal da direcção do Centro Náutico Moitense e um dos responsáveis pela organização deste evento, declara que “o entusiasmo do Centro Náutico Moitense na recuperação das embarcações tradicionais do Tejo está patente na construção de novas canoas e na manutenção do Museu Vivo das Canoas Típicas do Tejo, projecto para o qual muito contribui a realização deste tipo de iniciativas que atrai muita gente e divulga o trabalho da instituição”.
Recorde-se que, fundado em 1980, o Centro Náutico Moitense nasceu com o grande objectivo de fazer crescer entre a população o gosto pelo rio, promovendo a preservação das embarcações típicas.

Artigo Completo AQUI

Sem comentários: