18 de setembro de 2012

Dos cortes na gordura do Estado

E que tal os manifestantes que ontem legitimamente protestaram contra a austeridade passarem do protesto simples aos actos e apresentarem uma iniciativa legislativa de cidadãos propondo a revogação das alíneas a) e b) do artigo 6.º da Lei 26/84, que prevêem que os ex-titulares do cargo de Presidente da República tenham “direito ao uso de automóvel do Estado, para o seu serviço pessoal, com direito a motorista e combustível”, bem como a “disporem de um gabinete de trabalho, sendo apoiados por um assessor e um secretário da sua confiança, nomeados a seu pedido”?
Para além de tal ser evidentemente mais conforme à ética ‘republicana’, da qual alguns ex-Presidentes tanto gostam de se reivindicar, seria concerteza uma medida justificada no actual estado de emergência nacional e um forte exemplo de envolvimento e participação democrática dos cidadãos na adopção de medidas de redução da despesa pública inútil. Bastaria, aliás, que 35 mil cidadãos a subscrevessem.
Por mim, gostaria muito de ver os partidos da actual maioria a patrocinar ou mesmo a chamar a si uma tal iniciativa, como sinal do seu comprometimento na moralização dos sacrifícios impostos aos Portugueses.
Tenho a convicção, aliás, de que o sentido patriótico de Eanes o compreenderia, já o mesmo não podendo infelizmente pensar dos seus dois sucessores, que tão bem se têm tratado.
Fica o repto, a que se seguirão outros.
(na imagem, a "Casa do Regalo", presentemente utilizada por Jorge Sampaio para seu gabinete de trabalho com o dinheiro de todos nós)


Rui Crull Tabosa

Fonte: Corta-fitas

Sem comentários: