2 de setembro de 2012

Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de V. N. de Famalicão

 
A sua história ainda é um percurso por desbravar, sobretudo no que respeita aos mais recuados períodos. Mas têm-se por aceite a sua génese em 1890. Justamente quando um incêndio de enormes proporções ia levando nas chamas quase toda uma das principais artérias da vila.
Ainda não era o tempo dos automóveis. As primeiras "bombas" da corporação puxavam-as ou duas parelhas de cavalos ou, no outro caso, não havendo como atrelá-la à maior, a força braçal dos seus homens.
Os serviços prestados à urbe foram diversos e da maior valia. Daí o alvará d'El Rei D. Carlos, em 1903, agraciando-a com o título de "Real". E Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de V. N. de Famalicão passou a designar-se.
O advento da República decepou-lhe o "Real" - agora reintegrado no seu nome completo, mais recentemente.
Como é frequente em terras de provincia, é grande a rivalidade entre as - no caso duas - agremiações de bombeiros locais. Com o respeito que me merecem todos quanto se dedicam às inerentes actividades de auxilio, é evidente que o meu favoritismo vai para a Real Associação Humanitária. Já era assim com os meus familiares de outras gerações.


João Afonso Machado

Fonte: Corta-fitas

Sem comentários: