22 de agosto de 2013

" Quo Vadis ", Portugal?



Por definição, um grande homem tem a capacidade de ver longe, de reflectir no possível, ainda que esse possível surja, de certa forma, como quase improbabilidade. Foi sobre essa " possibilidade ", ao tempo remota - estava-se em 1962 -, que meditou Henrique Barrilaro Ruas: o posicionamento de Portugal perante a Grande Europa.


" ( ... ) Temos de aparecer à « Europa » - seja ela a das pátrias ou a dos apátridas - com todo o peso da realidade histórica e sociológica que construímos. ( ... ) Trágico seria que nós Portugueses, nos dividíssemos por sua causa. O nosso dever maior é ainda construir Portugal.


Quando a Europa nos mostra o seu magnífico « prato de lentilhas » ( baixela de oiro, lentilhas bem adubadas), só temos de perguntar se para receber essa maravilha temos de negar-nos a nós próprios ".



O que esses grandes homens não podem prever é que o futuro pode reservar a essa " realidade histórica " vendilhões do calibre dos que haviam de surgir...


Cristina Ribeiro


Sem comentários: