26 de outubro de 2013

A ditadura do número.



O povo que habitava as antigas províncias lusitanas do reino de Leão nunca se teria constituído em nação independente se não fora dirigido para esse ideal pelo filho de D. Teresa e seus cavaleiros o que só foi possível porque o número, a multidão, se submeteu à qualidade; e nem tal domínio da qualidade sobre a quantidade se poderá dizer incompatível com a democracia. Esclarece-a e enobrece-a. Corrige-a dos seus erros. Não querer a inteligência escravizada pela ignorância não equivale a desdenhar dos humildes. Para atingir tão monstruosa concepção da convivência humana seria preciso que nos divorciássemos do Cristianismo, que renegássemos a moral em que fomos criados.
( Adaptação de texto de Carlos Malheiro Dias )


Cristina Ribeiro


Sem comentários: