2 de abril de 2014

Comunicado da Direcção Nacional da JMP


A Juventude Monárquica Portuguesa, no final do seu 2º Congresso, em Coimbra, declara o seguinte:

1. Na sessão de encerramento, o Presidente da JMP, Diogo Tomás, apelou aos jovens para votarem nas próximas eleições europeias, tendo em conta os valores que defendem como monárquicos. “Na hora do voto não se esqueçam de que são portugueses e monárquicos, havendo valores intrínsecos a essa condição, nomeadamente a defesa da Soberania Nacional e da família, que não podem ser postos de parte nessa hora.”

2. A moção da direcção, com o título “libertar o ensino das amarras republicanas”, deixa claro que “O mais grave de tudo é constatar que os jovens de hoje foram alvo de uma lavagem cerebral eficaz, que não só os afastou da Instituição Real, mas também da Instituição Família e do valor pátrio. Há uma agenda republicana e marxista instalada em Portugal, muito especialmente no Ministério da Educação”.

3. Como forma de limpar o ensino da História da mentira republicana, a JMP vai promover a elaboração de uma “sebenta”, com professores de História, republicanos e monárquicos, sobre o período compreendido entre o ultimatum e a imposição da república

4. A JMP, através do seu Presidente, ainda na sessão de encerramento, afirmou que “è chegado o tempo de dizer à república que a resistência por Portugal está a renascer. O tempo de considerar que não há uma questão de regime está a acabar. Estamos aqui para repor a verdade, para repor Portugal!”



A Direcção Nacional da JMP
Coimbra, 29 de Março de 2014

Sem comentários: