24 de maio de 2014

A Pátria e o homem.

 ( Pintura de Gabriela Marques Costa )

" O Homem Universal pode nascer na Terra, alimentar-se da Terra e ter a Terra por sepultura. Mas o homem concreto, « o bicho da terra tão pequeno » de que falava o poeta, esse nasce numa terra, alimenta-se de uma terra, e é uma terra que lhe recebe o corpo. A animalidade prende. Depois, o espírito transfigura. Porque o homem é feito de tal maneira que, quando a terra lhe marca o corpo, também lhe marca a alma. E a alma, como é próprio do que é espiritual, responde com mais do que recebeu. Assim a terra patrum se vai dignificando à medida que passam as gerações. E cada vez é mais grave a negação da Pátria ou a revolta contra ela. Cada nova geração recebe mais do que as passadas. E deve mais. A Pátria espera ainda que o espírito a sagre. E tem direito a essa esperança, porque o espírito que há-de sagrá-la já recebeu dela muitos daqueles valores de que se alimenta.
A Pátria é a História que nos deu forma. É comunhão do Passado com o Presente. Para o Futuro."

Henrique Barrilaro Ruas

Fonte: Prometheo Liberto

Sem comentários: