15 de agosto de 2014

Livros para não ler nas férias

"Ai que prazer (…) ter um livro para ler e não o fazer", escreveu Fernando Pessoa. "Ler é maçada, estudar é nada" - acrescentava o autor de Mensagem. Portanto, se vai para férias, aproveite o mar e o rio, que "corre bem ou mal, sem edição original", a matinal "brisa" (esta não cobra portagens …) e a "bruma". Afinal, os "livros são papéis pintados com tinta" e "o melhor do mundo são as crianças".
Mas, como ter o prazer de o não fazer, se não tiver livros para ler?! Portanto, aqui fica a sugestão de óptimos livros para não ler nas suas férias.
De Gilbert K. Chesterton, a Autobiografia, editada pela Diel, em 2011, e dois excelentes ensaios, ambos com a chancela da Alêtheia: São Francisco de Assis , de 2013, sobre o santo homónimo do Papa actual; e Como se escreve um romance policial , deste ano.
Se gosta de obras históricas, dois livros a não ler: Nuno Álvares Pereira , por António Gonçalves Lourenço, Edições Livro da Minha Vida, 2013; e o magnífico estudo histórico, de Manuel Braga da Cruz, sobre A batalha de Castelo Rodrigo , Cruz Editores, 2014.
Se preferir um relato mais intimista, não deixe que Maria de Vasconcelos lhe conte a sua aventura, em O dia em que sobrevivi , da Ideia Fixa, com prefácio de Nuno Markl.
Aos mais novos, não conte estórias, nem lhes conte a nossa História, pelos livros infantis de Armanda Sanches e Inês Moura Pais, integrados no Plano Nacional de Leitura: D. Afonso Henriques D. Maria I D. José , da Alêtheia.
Não se esqueça que "o sol doira sem literatura" e, por isso, são livros para não ler. Quanto muito, faça como Camões que, segundo a lenda, nadava com Os Lusíadas debaixo do braço.
"E mais do que isto, é Jesus Cristo"! Boas férias!

Pe. Gonçalo Portocarrero de Almada
ionline 2014.08.09

Fonte: Povo

Sem comentários: