9 de junho de 2018

SAR, O Senhor D. Duarte de Bragança em Montalegre



Dom Duarte Pio de Bragança presidiu à conferência, realizada nos Paços do Concelho, subordinada ao tema "Couto Misto - Caminho Privilegiado". Uma sessão concorrida onde o Chefe da Casa Real Portuguesa não disfarçou a satisfação pela recepção que teve ao mesmo tempo que deixou os mais rasgados elogios à postura do povo barrosão.


Orlando Alves | Presidente da Câmara de Montalegre

«Foi uma sessão simpática de boas-vindas, onde a Câmara de Montalegre cumpriu o papel de anfitriã que lhe cabe. Estivemos ao nível daquilo que nos é exigido e demos a boas-vindas a uma outra forma de representação do Estado. Alguém que tem particular carinho pela nossa terra. Já esteve cá várias vezes e deixa sempre a promessa de voltar. Abrimos o salão nobre para recebermos alguém que representa um regime que há 100 anos foi abolido em Portugal. Dom Duarte Pio de Bragança é uma pessoa com elevada cultura, um herdeiro ao troco que se interessa pela questão da estética e beleza arquitectónica de Portugal como fez questão de vincar no seu discurso».
 
Dom Duarte Pio de Bragança | Chefe da Casa Real Portuguesa

«É uma ocasião muito bonita e muito interessante numa terra que, para além das qualidades de toda a população, está muito bem representada pelo actual Presidente da Câmara que defende acerrimamente os valores, a tradição e o progresso da sua terra. É sempre uma emoção vir a esta região. É fundamental manter a beleza arquitectónica de cada região. Uma vez destruída é muito difícil recuperá-la. Perde-se o interesse turístico e a identidade cultural. Nesse aspecto temos os piores exemplos de toda a Europa. A apresentação sobre o território do Couto Misto foi muito interessante. Seria um atractivo cultural e turístico. Existem algumas semelhanças com o caso de Olivença. Nomeadamente quando Espanha coloca a questão de que Gibraltar deveria ser devolvida a Espanha. Nesse sentido, Olivença deveria ser devolvida a Portugal. São situações políticas parecidas mas cada uma com as suas especificidades. Creio que o reconhecimento da identidade do território do Couto Misto seria uma vantagem muito grande para a população local».
 
Dario Carreira | Palestrante

«O nosso objectivo é colocar a questão do Couto Misto na ordem do dia, nomeadamente na perspectiva portuguesa. Muita da informação que foi apresentada não está a ser transmitida e não há conhecimento disso. Fazemos um esforço para repormos a verdade porque a dignidade é muito preservada pelos barrosões. Aproveitamos a presença de Dom Duarte para lhe transmitirmos isso. Muita gente ouve falar deste assunto só pelo que é dito do lado espanhol».










Sem comentários: