10 de maio de 2012

Jantar de tomada de posse da Direcção da Juventude Monárquica de Lisboa

A tomada de posse da Direcção da Juventude Monárquica de Lisboa decorreu no dia 27 de Abril de 2012, no Palácio da Independência, durante um jantar volante com os seus associados e amigos.

Marcou presença o Dr. José Ribeiro e Castro para nos falar sobre a defesa do 1º de Dezembro como feriado da independência nacional.



Presidente - João Embaixador
Vice-Presidente - Diogo Tomás
Vice-Presidente - Carolina Graça
Secretária - Carmo Pinheiro Torres
Tesoureiro - Nuno Gaspar
Vogais - Constança Abelaira Marques, Graça Cunha Coutinho, Hélder Santos Correia, Martim Cortez de Lobão


Esta será uma nova aposta para a juventude em Lisboa, com a organização de actividades de encontro com os seus amigos e de difusão do ideal que nos une.

Discurso | Presidente da Juventude Monárquica de Lisboa


Começo pelos agradecimentos: à Santa Madre Igreja pela presença do Sr. Padre Ismael Teixeira; à Sociedade Histórica da Independência de Portugal, na pessoa do Presidente, Dr. Alarcão Troni; à Juventude Monárquica Nacional, o amigo e colega Álvaro Meneses - substituído pelo Joel Moedas Miguel, vice-presidente, à Real Associação de Lisboa, o Presidente Nuno Pombo.

Ainda agradecer a presença da Juventude Popular, pela Presidente da Comissão Política Distrital, Catarina Alves.

Mas a cima de tudo, agradecer a presença de todo vós, associados ou não, por acreditarem neste projecto e terem vindo apoiar esta Nova Direcção.

Juventude Monárquica de Lisboa. Porquê? O que está na ideia de nove curiosos para que a liderem e se apresentem a um trabalho patriótico? A palavra foi dita: patriótico.

A curiosidade uniu-nos, cada um no tempo em que esta luz nos guiou até aqui e faz-nos questionar o porquê de ser necessária uma Juventude na Real Associação de Lisboa. Ser o pulmão desta tão nobre instituição? Mais que isso: a esperança e a renovação natural dos crentes de tão saudável ideal: o poder Real!

O poder Real espelhado na figura do Rei garante-nos a verdade da Pátria, a sua memória e o seu futuro. Em tempos idos, mas com quem ainda hoje digo PRESENTE, dizíamos “Queremos servir a Monarquia porque um Povo sem memória é um Povo sem futuro”.

Face à passividade do meio político-partidário em geral, e do meio monárquico em particular, a nossa Direcção quer acabar com esse paradigma, no sentido da restauração de Portugal pela Monarquia, porque a República levou-nos ao estado actual, sujeitando a Pátria e os Portugueses a várias ditaduras e a uma instabilidade crescente.

Queremos ser esse membro forte e presente da Juventude Monárquica Portuguesa.

Vamos participar nas actividades da Real Associação de Lisboa, conferindo-lhe a irreverência própria da Juventude, que tanto necessita. Utilizaremos todos os meios democráticos para mostrar que amamos Portugal e negamos abandonar a nação.

Queremos um Rei que seja o garante da nossa independência e dignidade. Por isso, queremos o fim da Constituição da República Portuguesa e a instauração de uma Constituição de Portugal, livre e verdadeiramente democrática.

Agradeço às pessoas da minha direcção: Diogo, Carolina, Carmo, Graça, Martim e Nuno, por toda a dedicação e entrega, principalmente nestes últimos dias. Também aos mais recentes membros, Constança e Hélder.

Independentemente das visões políticas que cada um tenha, neste Portugal do século XXI, é sempre de louvar a existência de um grupo luta por uma causa, sem qualquer compensação financeira e em prejuízo da sua vida particular.

A todos os que aqui estão, apelo à vossa participação nas nossas actividades e lutem por Portugal connosco.

Viva o Rei!

Viva Portugal!

Fonte: Juventude Monárquica de Lisboa

Sem comentários: