15 de junho de 2012

Ter talante


Dizia o António Alçada Baptista com muito acerto e graça que, "após os 30 anos, cada um é responsável pela cara que tem". Não são os trapos, os adereços e o espampanante, mais a falsa importância e as arrogâncias atrevidas de quem se dá ares que fazem um homem ou uma mulher possuir dignidade e boa máscara. A vida interior, o carácter, o auto-domínio, a atitude são coisas indisfarçáveis. Olhava para esta foto ontem publicada no Família Real Portuguesa - que vale a imprensa que não temos - e dei comigo a pensar na galeria dos figurões, atrevidos e impantes que nos infernizam a vida. Caramba, que diferença de gabarito e talante entre essa gente que se parecerá sempre com aguadeiros e vendedores de patos e o Chefe da Casa Real. Há coisas que não se compram. Uma delas é a dignidade.
Miguel Castelo-Branco
 

Sem comentários: